(19) 3877-2579 [email protected]
Escolha uma Página

Sabemos que combater o vício do álcool não é nada fácil.

Aliás, existem muitos fatores que contribuem para que uma pessoa se torne alcoólatra, como: emocionais, psicológicas, fisiológicas, dentre outros.

Porém, independentemente dos aspectos que predispõem o vício do álcool, é sempre importante conhecer algumas medidas que possam combater esse desafio — o qual, por sinal, não é apenas do indivíduo, mas dos seus amigos e familiares. 

Por isso, para te ajudar, preparamos este conteúdo com 5 formas de combater o vício do álcool.

Vamos aprender mais sobre o assunto? Boa leitura!

Como acontece o vício do álcool?

O alcoolismo acontece quando uma pessoa não consegue mais viver sem o álcool. Ou seja, para ser feliz e realizar as suas atividades diárias, ela “precisa” tomar a sua cervejinha, o seu vinho ou cachaça (dentre outros).

Portanto, o vício do álcool acontece quando a pessoa não consegue interromper esse consumo, tornando-se um dependente.

Afinal, caso haja a interrupção, a pessoa começa a apresentar alguns sintomas comuns (e desagradáveis) que cessam quando há o retorno do consumo de álcool — processo conhecido como abstinência.

Esse processo de abstinência se constitui com a agregação de uma série de fatores e sintomas que o indivíduo começa a apresentar no momento que deixa de consumir o álcool. 

Dentre muitos, os sintomas de abstinência mais recorrentes e mais observados são: 

  • irritabilidade;
  • agitação;
  • dor de cabeça;
  • ansiedade;
  • fadiga;
  • tremores; e
  • depressão

Inclusive, é preciso mencionar que os sintomas variam conforme a quantidade que foi consumida ao longo da vida (dentre outros fatores, como predisposição genética e idade).

Assim, cada indivíduo tem uma apresentação diferente do quadro. Alguns possuem sintomas mais leves; outros, mais graves — podendo levá-los, inclusive, à morte. 

Portanto, podemos entender que a dependência traz consequências negativas tanto para a pessoa quanto para quem está ao seu redor, como amigos e familiares. 

Conheça 5 formas para combater o vício do álcool

Conhecer algumas maneiras para combater o vício do álcool é uma excelente opção para ajudar quem você ama. 

Afinal, esse não é um momento de julgamentos e, sim, de ajuda. Isso porque, o processo de tratamento exige muita atenção, respeito, amor e cuidados especiais.

Portanto, para que se possa garantir o combate ao vício do álcool, alguns aspectos muito importantes podem ser destacados. Confira!

1. Admissão do alcoolismo

Antes de qualquer coisa, é extremamente importante reconhecer que há, de fato, um vício. 

Afinal, esse é o primeiro passo para que o tratamento seja considerado eficaz; não só do ponto de vista clínico, mas do social também. 

Entretanto, talvez esse seja o passo mais difícil, porque requer do indivíduo uma autoavaliação. E isso não é tão fácil, concorda?

Porém, quando o indivíduo consegue perceber o problema do vício de álcool, é hora de submetê-lo a um tratamento, o qual requer ajuda de amigos e familiares.

2. Buscar tratamento em uma clínica especializada em alcoolismo

Após se autoavaliar e perceber que precisa de ajuda, é o momento de iniciar a busca por um tratamento adequado.

Portanto, contar com a ajuda de uma clínica especializada no tratamento para alcoolismo é sempre a melhor solução.

A clínica especializada, como a Huxley, é um espaço de acolhimento em que há o máximo possível de conforto, segurança e bem-estar para o indivíduo durante todo o tratamento.

Afinal, ele vai precisar de um suporte médico qualificado (psiquiatras, terapeutas, nutricionistas, educadores físicos, enfermeiros, dentre outros) e realmente especializado no assunto. 

E é exatamente isso que você encontra na Huxley: um tratamento repleto de amor e respeito ao próximo, mas, mais do que isso, com o suporte médico adequado, individual e personalizado para cada paciente.

3. Ficar longe de pessoas e lugares com álcool

Você sabia que muitas recaídas poderiam ser evitadas se certos lugares não fossem frequentados?

Muitos alcoólatras, em fase de recuperação, pensam que conseguem suportar aquela casa de show, um barzinho com os amigos — mesmo que a intenção, inicialmente, seja não consumir álcool.

Porém, tanto os lugares que comercializam álcool quanto as companhias que estimulam ou fazem o uso dessas substâncias, precisam ser evitadas pelo dependente.

Afinal, isso ajuda (e muito) a evitar as recaídas.

4. Utilizar a medicação exatamente conforme a prescrição médica

Na maioria dos casos de tratamento para o alcoolismo, indica-se a utilização de alguns medicamentos — que variam de cada paciente.

Essa medicação é utilizada, principalmente, com objetivo de controlar os sintomas da abstinência, como a ansiedade, depressão, tremores etc.

No entanto, deve-se evitar a automedicação, justamente por conta do tipo de tratamento que se está realizando. 

Assim, a melhor opção é que o indivíduo seja acompanhado por um profissional que esteja habilitado e capacitado para oferecer o tratamento mais adequado, bem como as medicações mais assertivas para cada sintoma apresentado.

5. Buscar autoconhecimento

Muitos não conseguem obter resultados satisfatórios porque não conseguem perceber a si mesmos.

Além disso, muitos não possuem forças para parar o vício e, por conta de muitas tentativas frustradas, acabam desistindo logo no início do tratamento. 

Assim, a presença e o devido suporte da família são fatores que contribuem significativamente para o tratamento do dependente.

Afinal, de nada adianta realizar vários tratamentos se os problemas que originam o vício continuarem a existir (externa ou internamente), tais como: transtornos, ansiedade, descontrole emocional etc.

Inclusive, é importante entender que o vício do álcool gera uma dificuldade de a pessoa compreender a si mesma. 

Por conta disso, ela recorre às substâncias compensadoras. 

Assim, o autoconhecimento constante, por meio de terapias, é essencial para evitar as temidas recaídas. 

É necessária a internação para combater o vício do álcool?

Sim. A internação é sempre a alternativa mais eficiente para os casos de alcoolismo, mesmo em casos leves e moderados.

Nos casos mais graves, sem dúvidas, a internação é o melhor tratamento, pois a pessoa pode se transformar em uma ameaça tanto para si quanto para as pessoas que as rodeiam.

Afinal, o objetivo da internação é proporcionar ao alcoólatra as condições necessárias para que o comportamento de risco seja reduzido, bem como garantir o completo suporte e acompanhamento durante a sua recuperação. 

Gostou de aprender mais sobre o assunto? Se sim, baixe agora mesmo o nosso e-book sobre “vencendo o vício do alcoolismo”. Boa leitura!

0 0 votes
Article Rating