(19) 3877-2579 [email protected]om.br
Escolha uma Página

Existem muitos mitos e verdades sobre o alcoolismo e se você é ou convive com uma pessoa alcoólatra, quanto mais conhecimento buscar sobre o assunto, melhor. Assim, poderá entender um pouco mais sobre essa doença.

Vamos conhecer agora quais são os principais mitos e verdades que permeiam o universo do alcoolismo? Continue conosco e vamos aprender juntos. Boa leitura!

Tomar remédios evita a ressaca

1. Tomar remédios evita a ressaca

Mito. Muitas pessoas pensam em tomar comprimidos (principalmente os efervescentes) porque acreditam que eles curam a ressaca. Entretanto, trata-se de um mito. O que acontece é que, geralmente, esses comprimidos têm antiácidos, anti-inflamatórios e analgésicos. 

Dessa maneira, essas composições são importantes para aliviar os sintomas da ressaca, como dor de cabeça. Contudo, os efeitos da ingestão de álcool não passam com o remédio — principalmente os sintomas cognitivos, como perda de reflexos e sonolência.

Tem pessoas que nunca ficam bêbadas

2. Tem pessoas que nunca ficam bêbadas

Mito. Todas as pessoas que bebem ficam bêbadas se ingerirem grandes quantidades de álcool. O que pode acontecer é que a pessoa está tão acostumada com a bebida alcoólica que acaba não demonstrando mais os seus efeitos. Entretanto, eles acontecem da mesma forma.

As pessoas que bebem álcool com frequência acabam desenvolvendo certa tolerância. Dessa maneira, para que os sintomas de embriaguez apareçam nitidamente, elas precisam ingerir uma quantidade maior de bebida.

Também é importante saber que a ação do álcool no organismo pode variar de pessoa para pessoa. Afinal, diversos fatores devem ser considerados, como alimentação, mistura de várias bebidas, ingestão de água, dentre outros.

Entre agora mesmo em contato e peça ajuda profissional!



precisa beber todos os dias

3. Uma pessoa alcoólatra precisa beber todos os dias

Mito. Engana-se quem pensa que só é alcoólatra quem bebe diariamente. Uma pessoa que bebe em quantidade suficiente para ter alterações comportamentais (por mais de um ano) já pode ser considerada alcoólatra.

Quando a pessoa não consegue deixar de beber por períodos prolongados ou tem tentativas frustradas de ingerir menos bebidas alcoólicas, já pode ser considerado um quadro de alcoolismo. 

Afinal, o alcoolismo não se caracteriza apenas pela frequência ou quantidade consumida. Ele também pode ser caracterizado pelos problemas que o consumo do álcool traz para a vida — problemas familiares, desempenho acadêmico ou profissional, relacionamentos sociais, dentre outros.

alcoolismo é uma doença

4. O alcoolismo é uma doença

Verdade. Portanto, uma pessoa alcoólatra não pode ser vista como irresponsável e fraca. Afinal, desde 1967 a Organização Mundial da Saúde declara o alcoolismo como uma doença crônica. Então, é muito importante saber que a dependência do álcool não está relacionada ao caráter da pessoa. 

O alcoolismo é uma doença que apresenta aspectos socioeconômicos e comportamentais. Assim, há o desejo incontrolável e compulsivo do álcool, fazendo com que a pessoa vá se tornando cada vez mais tolerante à intoxicação.

Dessa maneira, quando ela não consome álcool por um determinado período, entra no estado de abstinência.

>> Você também pode se interessar por fazer o download gratuito do nosso e-book sobre abstinência.

alcoolismo é genético

5. O alcoolismo é genético

Verdade. Embora não seja o único (ou principal) fator determinante, sim, o alcoolismo é genético. Os pais passam a herança genética aos seus filhos, que determinam os seus traços físicos e comportamentais (bons e ruins).

O assunto é complexo, pois o alcoolismo não é determinado por um único gene. No entanto, existe uma predisposição. Dessa forma, quando os pais (ou um deles) é alcoólatra, o risco do filho também ser é muito maior.

Porém, colocar a “culpa” na hereditariedade não é correto. Afinal, existe uma predisposição genética, mas não significa que a pessoa, obrigatoriamente, também se tornará um alcoólatra.

Existem diversos outros critérios que devem ser observados e que se tornam decisivos para o consumo exagerado de álcool, como o ambiente, o estilo de vida e muito mais.

efeitos do álcool

>> problemascomdrogas.com.br

6. Os efeitos do álcool variam conforme a idade

Verdade. Os efeitos do álcool no organismo variam conforme a idade, assim como as suas consequências. Então, o efeito do álcool em uma pessoa jovem, por exemplo, difere-se dos efeitos em um idoso, por exemplo.

Não estamos dizendo que os riscos do álcool para a pessoa jovem são menores. No entanto, os idosos precisam ter uma atenção especial com o assunto. 

Afinal, o avanço da idade traz uma série de efeitos e consequências que podem ser muito prejudiciais para a sua saúde e qualidade de vida na terceira idade.

Por exemplo, é comum o idoso já ter uma perda natural da visão e audição. Assim, quando ele está sob o efeito do álcool, pode ficar mais suscetível a quedas e demais acidentes.

Além disso, o consumo de álcool pode agravar as situações clínicas, como hipertensão e úlcera. Sem contar que o idoso, normalmente, toma diversos medicamentos. E a combinação de remédios e álcool é extremamente danosa e pode ser fatal à saúde.

detecção de alcool no organismo por ate 90 dias

7. O álcool pode ser detectado no organismo em até 90 dias do consumo

Verdade. Para conferir se uma pessoa consumiu álcool em um determinado período, basta realizar um exame específico. Atualmente, existem três principais.

Os exames de sangue podem detectar o álcool por até 6 horas, pois é o período em que ele fica na corrente sanguínea. Já nos testes de saliva e bafômetro, é possível detectá-lo de 12 a 24 horas.

No entanto, se for realizado exame com folículos capilares, é possível detectar a presença de álcool no organismo em até 90 dias.

vinagre para burlar teste de bafometro

8. O vinagre é uma alternativa para burlar o teste do bafômetro

Mito. Encontramos muitas informações e dicas (erradas) sobre como burlar o teste do bafômetro. O gargarejo com vinagre é uma delas. Embora essa informação errada ainda circule, não se engane: não é possível burlar o sistema.

Inclusive, já foram realizados testes para averiguar o boato do bafômetro, por autoridades policiais e o vinagre não apresentou nenhum resultado (mesmo bebendo ou fazendo gargarejo).

Além disso, o vinagre pode alterar ainda mais o resultado do teste, pois, geralmente, ele é produzido a partir da fermentação do ácido contido no vinho. Então, a ideia é que esse boato tenha surgido apenas para “sacanear” as pessoas que querem se tornar espertinhas e encontrar maneiras para burlar a lei.

Gostou de conhecer os mitos e verdades sobre o alcoolismo? Se sim, aproveite e compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais e marque os seus amigos que também possam se interessar por este conteúdo.

Precisa de ajuda para tratamento médico profissional?

1.5 2 votes
Article Rating