(19) 3877-2579 [email protected]
Escolha uma Página

A Dependência é uma doença e precisa de sua atenção!

Para início de conversa, precisamos considerar que a dependência química não pode ser vista, em hipótese alguma, como frescura!

Afinal, ela é caracterizada como uma doença crônica que surge por meio de diversos fatores — desde o abuso excessivo de substâncias psicoativas até uma predisposição. 

No entanto, infelizmente, sabemos que muitas vezes a sociedade enxerga os dependentes químicos como pessoas que não têm força de vontade (ou são fracas) para abandonar o vício.

Entretanto, é extremamente importante compreender que a dependência química altera o comportamento dos dependentes, o que, inclusive, pode provocar várias mudanças negativas em sua rotina e, também, na das pessoas que vivem ao seu redor. 

Por conta disso, ela é considerada, atualmente, como um dos mais sérios problemas de saúde pública.

Continue a leitura para entender mais sobre esse tema.


Dúvidas?

Entre em contato por nosso WhatsApp!


Entenda por que a dependência química é considerada uma doença mental 

Muito diferente do que algumas pessoas possam imaginar, a dependência química é caracterizada como uma doença crônica e que pode, sim, ser tratada.

As mudanças progressivas no comportamento são características das pessoas dependentes, pois o organismo tenta – de todas as formas – adaptar-se às drogas.

Isso é um indicativo para que a dependência química seja, também, categorizada como um transtorno mental associado ao uso de substâncias psicoativas.

Além do mais, essas substâncias, com o tempo, provocam modificações clínicas no funcionamento do cérebro. Por conta disso, os dependentes químicos não podem ser julgados por ninguém.

Afinal, isso está além da força de vontade do indivíduo.


Veja quais são as principais causas da dependência química


dependência química huxley clínica

A causa da dependência química pode variar em cada indivíduo, mas já se sabe que ela não tem uma causa única.

São vários fatores que possibilitam a instalação da dependência em uma pessoa. Pode acontecer, ou não, no primeiro uso. Não existe uma regra universal.

No entanto, alguns fatores estão mais presentes nas pessoas dependentes.

São os chamados fatores biopsicossociais, os quais influenciam diretamente sobre a vida do indivíduo e podem aumentar a probabilidade dele se tornar um dependente químico. Eles podem ser classificados de três formas. Veja quais são elas.

· Biológicos

Os fatores biológicos têm relação com a hereditariedade.

Dessa forma, as características são passadas de pais para os filhos e influencia na forma como um determinado organismo metaboliza certas substâncias psicoativas e o potencial destas em provocar uma dependência a longo prazo.

· Psicológicos

Os aspectos de ordem psicológica estão relacionados com as dificuldades de lidar com certas frustrações e com a resolução de problemas, traumas durante a infância, tristeza sem razão aparente ou qualquer outro sentimento que esteja ligado diretamente ao psicológico do indivíduo.

· Sociais

São os aspectos ligados ao ambiente negativo em que a pessoa vive, facilitando o uso de alguma substância psicoativa. Esses ambientes podem ser: casa, universidade, trabalho etc. 

Porém, outros aspectos, incluídos neste tópico, podem estar relacionados à mídia, televisão, internet, rádio, dentre outros que favoreçam o desenvolvimento da dependência química. 

Nós podemos ajudar!

Somos uma clínica de recuperação especializada em remoção de pacientes de forma voluntária e involuntária.


Saiba quais são os tratamentos mais indicados



Por se tratar de uma doença crônica, a dependência química não pode ser curada, mas controlada. No entanto, o importante é fazer com que o dependente químico, de forma alguma, volte a fazer o uso da droga, principalmente quando há a tendência para recaídas. Afinal, isso pode provocar o surgimento de sintomas ainda mais acentuados, como a agressividade.

Hoje em dia, existem alguns tratamentos que se mostram bastante efetivos no tratamento da dependência química, como:

  • psicoterapia;
  • atividades físicas;
  • grupos de ajuda;
  • terapia;
  • clínicas para dependentes químicos;
  • dentre outros. 

Esses tratamentos completos têm o objetivo de tratar os transtornos que levaram o indivíduo ao abuso de drogas e quais são os gatilhos que desencadeiam essa dependência química.

Vale ressaltar, com isso, que o tratamento envolve não só o psicólogo ou o médico.

Ele é considerado multidisciplinar, pois envolve vários profissionais a fim de controlar o desenvolvimento de problemas mais graves e conduzir o indivíduo a uma vida socialmente ativa.

Por conta disso, é extremamente importante agir sem qualquer preconceito.

Qualquer pessoa pode, de alguma forma, acabar desenvolvendo a dependência e isso não pode ser visto como motivo de vergonha ou de folha moral. A pessoa dependente tem uma doença crônica e, diante disso, precisará do apoio dos amigos e dos familiares para superar seu problema e ter uma vida normal.

Você gostou de aprender mais sobre o assunto? Se sim, conheça quais são os tratamentos oferecidos na Huxley, Clínica de Reabilitação Especializada em Dependência Química.


0 0 votes
Article Rating