(19) 3877-2579 [email protected]
Escolha uma Página

Qualquer substância que o corpo consome afeta, direta ou indiretamente, o funcionamento do corpo humano, ou seja, interfere no seu equilíbrio. Com o abuso de drogas, não seria diferente. 

Afinal, existem os chamados efeitos imediatos, que muitos associam à sensação de prazer.

No entanto, a longo prazo, o abuso de drogas pode comprometer a vida dos usuários de forma bastante significativa. 

Por conta disso, preparamos este conteúdo para você compreender melhor esse assunto, bem como as consequências do uso excessivo de drogas. 

Boa leitura!

Maconha

Muitas pessoas ligam os efeitos da maconha com a (falsa) sensação de bem-estar. 

Por outro lado, o uso abusivo dessa substância causa um efeito devastador na memória de curto prazo. 

Assim, o cérebro afetado pelos constituintes da maconha, acaba sendo impedido de realizar o registro de novas memórias.

Além disso, com o passar do tempo, o usuário pode desencadear comportamentos agressivos. Assim, ele pode se tornar um perigo para a família e para a sociedade.

Complementando essa ideia, vemos que os males provocados pela maconha não cessam por aí.

Isso porque, o abuso da maconha pode provocar doenças pulmonares e cardíacas. 

Afinal, o uso dessa substância envolve a sua queima e a consequente absorção pelo trato respiratório. Logo, o pulmão acabará sofrendo os efeitos nocivos da maconha.

Cabe ressaltar que os usuários de maconha podem ter o risco de desenvolver transtornos mentais e psiquiátricos aumentados. 

Aliás, a aceleração da esquizofrenia é um quadro não incomum em pessoas que fazem uso excessivo dessa droga. 

Outros efeitos ampliados pela maconha são: 

  • oscilações de humor;
  • depressão;
  • ansiedade;
  • transtorno de bipolaridade
  • dentre outros.

Cocaína

A cocaína pode gerar dois tipos de consequências: a inicial, onde os sintomas costumam ser mais leves; e a tardia. É sobre essa última que vamos conversar, já que ela está associada ao abuso da cocaína. 

Isso porque, as consequências desse tipo acabam surgindo com o tempo de uso. 

Vale ressaltar que essas consequências são bastante graves e podem comprometer a vida do usuário definitivamente.

Um dos efeitos mais nocivos — e mais rápidos — da cocaína é a elevação da pressão arterial, vasoconstrição no corpo e no cérebro e o aumento dos batimentos cardíacos. 

Inclusive, são esses sintomas que muitos associam ao “pico de energia”. 

Porém, eles também são os principais responsáveis por facilitar a instalação da depressão, paranoia e estresse.

Dor no peito, pressão alta constantemente, taquicardia e formação frequente de trombos são outros sintomas que podem surgir com o uso prolongado de cocaína. 

Além disso, os delírios são muito frequentes em usuários dessa substância. 

Dessa forma, o indivíduo começa a pensar que tem sempre alguém atrás dele, seguindo-o ou que as pessoas estão conspirando contra ele.

Crack

Sem dúvida, o crack é uma das drogas que tem a facilidade de viciar mais rapidamente. 

Afinal, durante seu uso, a fumaça chega de modo rápido aos pulmões e, consequentemente, ao cérebro. 

Logo, ao alcançar essas regiões, o crack começa a destruir os neurônios de forma permanente, provocando lesões graves ao indivíduo.

Devido ao baixo preço, o crack é uma droga com aceitação muito alta.

Inclusive, por conta de sua disponibilidade ser tão facilitada, não é difícil verificar a população em situação de rua (principalmente os jovens) utilizando essa substância devastadora.

Outro ponto sobre o crack que merece destaque é com relação ao seu efeito passar muito rápido.

Isso é prejudicial porque o usuário ficará ansioso para repetir a dose. Dessa forma, ele acaba entrando em um ciclo vicioso. 

Além disso, o abuso de drogas, como o crack, pode promover a perda do apetite, dilatação das pupilas, irritabilidade, insônia, respiração mais acelerada etc.

Por outro lado, a longo prazo, os efeitos podem ser mais nocivos ainda.

Afinal, o uso prolongado de crack pode provocar consequências às vezes irreversíveis ao corpo humano, como: 

  • doenças infecciosas;
  • alucinações e delírios;
  • danos nos rins, pulmões e fígado;
  • insuficiência respiratória; e
  • problemas cardiovasculares.

Ecstasy

O abuso de drogas é uma prática milenar, humana e global — mesmo com todas as informações disponíveis sobre os seus malefícios. 

E o ecstasy não está fora dessa lista. Afinal, essa substância, criada inicialmente com finalidades terapêuticas, foi tomando proporções gigantescas e nocivas à saúde.

Os efeitos dessa droga atuam diretamente no cérebro e podem provocar agitação, mesmo deixando a pessoa alegre e sociável.

Além disso, o ecstasy pode provocar um misto de confusão mental e alteração da percepção da realidade.

Alguns prejuízos dessa droga já são conhecidos, como: 

  • complicações físicas;
  • desordens e transtornos mentais;
  • impactos sociais negativos;
  • dentre outros.

Alcoolismo

As consequências do abuso de drogas não para por aí. Isso porque, o alcoolismo é o hábito de ingerir bebidas alcoólicas frequentemente sem haver um controle da parte do indivíduo. 

No entanto, independentemente do nível do consumo de álcool — leve, moderado ou crônico — os efeitos dessa substância no organismo podem ser extremamente prejudiciais.

Não é difícil de perceber quando uma pessoa está sob efeito do álcool. 

Isso porque, o corpo reage com algumas mudanças imediatas, porém de reversão mais fácil, como: comprometimento do equilíbrio, falhas na coordenação, perda do senso de reação etc. 

No entanto, a longo prazo, as consequências podem ser piores, provocando desde lesões cerebrais até comprometimentos hepáticos.

Além disso, o uso prolongado do álcool provoca a redução da capacidade de absorver nutrientes. Assim, há um comprometimento nutricional, levando a uma desnutrição severa no indivíduo. 

Inclusive, o álcool possui uma ação eficiente para provocar lesões nos chamados órgãos nobres, como estômago, fígado e rins. 

Hepatite alcoólica, cirrose e gastrite são doenças frequentemente observadas em pacientes que sofrem com o alcoolismo.

Ainda figurando na lista de consequências do consumo excessivo de álcool, temos o desencadeamento de doenças emocionais.

Assim, podemos perceber que a ansiedade e depressão são distúrbios que podem ser acentuados com o consumo de álcool.

O abuso de drogas é um assunto muito sério. Afinal, ele só traz malefícios para o indivíduo. 

Gostou de aprender mais sobre o abuso de drogas? Se sim, leia também: Dependência química: é preciso internação drogas? Boa leitura!

0 0 votes
Article Rating
Sair