(19) 3877-2579 [email protected]

Um assunto complexo, delicado e que ainda é tabu, não pode ser ignorado na sociedade. Em todo tempo, somos surpreendidos com notícias de famosos, pessoas conhecidas que acabam tirando a sua própria vida em função de alguma coisa que vem passando e muitas vezes, não demonstram. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 800 mil pessoas morrem todos os anos por atentarem contra a própria vida, o que corresponde a uma morte a cada 40 segundos. A cada morte, pelo menos seis pessoas são impactadas diretamente. O suicídio geralmente está ligado a depressão, que afeta hoje mais de 300 milhões de pessoas em todo mundo. Em 2015, o suicídio foi considerado a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos no mundo. Só no Brasil, 32 pessoas cometem suicídio todos os dias. Precisamos falar sobre o suicídio.

Setembro amarelo

O Centro de Valorização a Vida (CVV), a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e o Conselho Federal de Medicina se uniram para criar o Setembro Amarelo que é reconhecido internacionalmente como o mês da prevenção do suicídio. 

Fatores de risco

É importante identificar as pessoas que estão em risco ou são vulneráveis ao ato. Listamos abaixo, alguns dos principais fatores de risco para o ato suicida.

Transtornos mentais
Segunda a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), mais de 50% da taxa de suicidas tem alguma doença mental identificada, não tratada ou não tratada de maneira adequada. Pessoas com transtornos mentais que já estão identificado, têm os riscos aumentados. 
Os fatores que riscos principais são:
Depressão;
Transtorno bipolar;
• Transtornos mentais relacionados ao uso de álcool e outras substâncias;
• Transtorno de personalidade;
• Esquizofrenia.

Condições de saúde limitada
Algumas condições de saúde são fatores de risco, principalmente, nos primeiros dias de diagnóstico e nos casos em que o paciente não responde bem ao tratamento.
• Doenças orgânicas incapacitantes;
• Dor crônica;
• Doenças neurológicas (epilepsia, Parkinson, Hungtinton);
• Trauma medular;
• Tumores malignos;
• AIDS;
• Esclerose múltipla;
• Acidente Vascular Cerebral (AVC).


Aspectos psicológicos

Quando os fatores estão ou estiveram ligados ao consumo de substâncias químicas, o risco é extremamente alto. Além disso, pacientes que já tenham tentado suicídio têm entre cinco e seis vezes mais chances de atentar novamente contra a própria vida. 
Outros fatores:
• Perdas recentes;
• Baixa resiliência;
• Personalidade impulsiva, agressiva ou humor instável;
• História de abuso físico ou sexual na infância;
• Desesperança, desespero e desamparo;
• Conflitos de identidade sexual.

Se informar sobre o que pode causar o ato só suicídio é a melhor ferramenta para ajudar as pessoas em risco. Além disso, a conversa pode aliviar a angústia e a tensão geradas por esses pensamentos. 

Gostou de nosso artigo? Continue acompanhando nosso Blog e obtendo informações importantes. Ficou com alguma dúvida? Deixe nos comentário. Clique aqui e baixe nosso ebook gratuito sobre tudo que você precisa saber sobre depressão.

Nós ligamos pra você!