(19) 3877-2579 [email protected]

Quando se fala em recuperação de dependência química, não podemos deixar de lado alguns fatores, como por exemplo as recaídas. A recaída de drogas durante o tratamento e principalmente pós, é uma situação preocupante, tanto para os paciente quanto para os familiares. Nessa circunstância, é necessário se preparar para caso isso ocorra, com muito empatia, carinho, acolhimento, amor e compreensão. Essas são atitudes principais para o que o paciente se sinta acolhido e que cada vez menos dependa da droga ou do álcool para se sentir bem e importante.

Nesse artigo, separamos algumas dicas que vão te ajudar a passar por esse processo.

1. A importância que a família tem no processo de recuperação

O tratamento químico é uma etapa importante e delicada, por isso, após ele a família deve dar todo apoio e suporte, principalmente em momento de abstinência e recaídas. Após o tratamento fique atento em suas reações e atitudes. Evite locais que a pessoa tinha acesso às substâncias, situações ou pessoas. Essa parte é tão essencial quanto o tratamento, já que uma vez que o corpo humano uma vez que conhece a substância, se vicia. A família deve ter paciência e perseverança.

2. Saiba compreender que as recaídas fazem parte do processo de recuperação

As drogas provocam alterações na consciência de seus usuário.A substância age diretamente no cérebro, modificando o funcionamento biológico do organismo, provocando o vício e a dependência em curto, médio e longo prazo, fazendo assim com que as substâncias sejam interpretadas pelo corpo como uma necessidade, uma vez que era comum a presença constante das mesmas. Uma vez que o corpo experimenta a sensação da droga, fica mais difícil para o uso.

Quando uma pessoa começa o processo de desintoxicação de drogas, muitas vezes, podem haver graves crises de abstinência, principalmente se o usuário tiver predisposição para doenças com ansiedade, depressão e pânico. Por esse motivo, quando não vigiado e tratado de perto, pode haver a abstinência. Ao menor sinal de falta da substância, o usuário procura satisfazer as necessidades do organismo, o que acontece quase que de forma automática. Ao utilizar a droga novamente, sentirá um prazer momentâneo e, depois, uma frustração pela recaída, tanto para o usuário quanto para a família.

Tendo consciência que essa situação pode vir a acontecer, esteja preparado para dar o apoio que o usuário tanto necessita. Procure compreendê-lo e ajudá-lo a se saber e entender que foi apenas uma recaída e que isso não significa que ele esteja, necessariamente, voltando a ser um usuário. Mostre a ele que está tudo bem, que faz parte do processo.

Observe o comportamento de uma possível recaída

É importante ficar em alerta e próximos aos ex-viciados em álcool e drogas, e estar preparados para lidar com possíveis recaídas. Observar a pessoas e suas ações constantemente, e estar atento ao seu comportamento é essencial para ajudá-lo a sair desse momento o quanto antes.

Alguns sintomas são comuns de um pessoa que está prestes a ter uma recaída. Dentre os sintomas, estão:

  • impaciência com as pessoas ao redor e consigo mesmo para atravessar o tratamento;
  • falta de frequência nas reuniões e certo desleixo com as coisas do trabalho, da escola ou da faculdade;
  • depressão e ansiedade, que podem ser causadas pela abstinência da droga;
  • frustração com alguém ou consigo mesmo.

3. Estimule o dependente a ter hobbies

Quando uma pessoa passa pelo processo de recuperação, por mais que existam ajuda de profissionais, é necessário que o usuários tenha hobbies e faça atividade que goste para distrair a mente. A prática de esportes é uma das atividades que mais dão efeitos positivos. À medida que o usuário vive a abstinência, ele tentará encontrar novas formas para alcançar o êxtase causado pela substância. É comum que a pessoa comece a trocar as drogas por cigarro ou comida, por exemplo. Dessa maneira, umas das formas de liberar neurotransmissores que acalmam e promovem sensação de bem-estar é praticando esportes. A movimentação dos músculos libera endorfinas, serotonina e adrenalina de forma natural e ajudam no processo de recaídas. Incentive-o a procurar algo que goste de fazer.

4. Incentive-o a voltar à clínica

Depois de uma recaída, pode ser que o indivíduo tenha a sensação de que tudo está perdido e isso pode causar certa tristeza ou depressão.Um usuário de drogas ou álcool que decide lutar contra seu vício, já tem em mente que usar essas substâncias só vai trazer malefícios para sua vida. Por isso, ele também está consciente de que uma recaída é um passo para trás em seu tratamento.  Em situações de recaída de drogas e álcool, é importante que o usuário retorne à clinica e reveja suas metas. A avaliação e alcance dos objetivos propostos precisam ser reajustados para não atrapalhar a evolução do tratamento. Portanto, converse amigavelmente com o usuário e sugira a volta para a clínica de reabilitação.

5. Ajude-o a organizar sua vida

O ideal é incentivá-lo a voltar para sua rotina o quanto antes. Ajude a se organizar, conseguir um emprego, estudar e ter seus hobbies. É possível sim, depois da recaída ter uma vida equilibrada e normal. A ajuda de um psicólogo regularmente é fundamental nesse processo de adaptação a uma vida limpa.

Atitudes que podem ser eficientes para evitar as recaídas

As recaídas podem acontecer durante um tratamento ou até mesmo recentemente após o vício em álcool e drogas, porém, algumas atitudes podem evitar que isso aconteça:

  • evite situações que relembrem o vício, como festas de amigos, comemorações que contenha bebida (no caso dos viciados em álcool) e pessoas que tragam um sentimento ruim;
  • faça consultas semanais com psicólogos;
  • procure fazer uma viagem;
  • estimule amizades e relações novas, com pessoas que tenham inteligência emocional para evitar certos assuntos e que saibam lidar com as possíveis oscilações de humor de quem está deixando um vício;
  • incentive-o a continuar a mudança de seus hábitos e crie novas rotinas para mantê-lo longe das distrações e das companhias que poderiam incentivar uma volta ao vício.

Para o sucesso do tratamento contra as drogas, o fundamental a ajuda da família e amigos e fazer com que o usuário entenda que apresenta uma doença crônica, que precisa ser controlada. Saber lidar com esse tipo de intercorrência também é fundamental, pois é a atitude de pessoas que estão próximas que vão dar forças para que ele continue no caminho livre dessas substâncias. É possível vencer as drogas e é possível viver sem recaídas! Nós podemos te ajudar! Solicite aqui um contato.

Nós ligamos pra você!