(19) 3877-2579 [email protected]
Escolha uma Página

Uma gíria muito usada por quem usa a cocaína é o famoso “cheira pó”, mas você conhece os perigos à saúde com o uso da cocaína?

A cocaína, comercializada de forma ilegal no Brasil e no mundo, sendo derivada das folhas da coca que proporciona um efeito estimulante no sistema nervoso central.

Ao usuário, causa um efeito de euforia e sensação de prazer.  Podendo ela ser encontrada no formato de pó, merla, pasta e crack e conhecida também por branquinha, branca de neve, pó e melado.

A cocaína é administrada pela via endovenosa, ou seja, diluída em água e injetada na veia, ou pela via intranasal. Para início de conversa, já precisamos ressaltar que esse tipo de dependência química só traz prejuízos graves à vida.

Vamos entender mais sobre o assunto? Continue conosco!

Como identificar se uma pessoa cheira pó?

A cocaína é um dos tipos de dependência. Se você acha que convive com um dependente, o primeiro passo é identificar alguns sinais que demonstram que ele cheira pó. Conheça agora mesmo quais são os principais.

Mudanças de comportamento e de humor

Uma pessoa que cheira pó tem uma série de desregularidades no organismo. Por conta disso, há constantes mudanças de comportamento e humor. Ela pode estar feliz em um momento e de uma hora para outra se tornar depressiva, triste e introspectiva. Por consequência do uso abusivo da substância, ela também passa a ter conflitos na sua vida social.

Amizades suspeitas

Um dependente químico normalmente procura estar perto de pessoas que possam lhe fornecer drogas ou que não o julguem quando estiver em uso. Então, podemos notar que ele se afasta do círculo de amigos habitual e começa a andar com pessoas “suspeitas”. Por conta disso, desconfie de amizades recentes e que aparentam um bom nível de confiança, de uma hora para a outra.

Alterações na rotina

Um usuário de drogas apresenta diversas alterações na sua rotina, pois o metabolismo não funciona da mesma maneira, pois está intoxicado. Alterações no sono também podem ser notadas, assim como o sonambulismo e a inversão de hábitos diurnos e noturnos.

Evidências no corpo

Também é possível notar as evidências no corpo do dependente químico. Por exemplo: arranhões, manchas, hematomas e outros ferimentos. Inclusive, devido ao uso da substância, também é possível notar sangramentos no nariz e marcas de agulha no corpo.

Quais são os efeitos do uso da cocaína?

Os principais efeitos do uso da cocaína são: problemas cardíacos, transtornos psicóticos, delírios, problemas de dentição, perda da capacidade analítica, alucinações, agressividade, euforia e nervosismo extremo.

No entanto, vale ressaltar que conforme o consumo for se intensificando, o usuário acaba tolerando mais a droga. Isso significa que ele começa a usar cada vez mais, abusando das quantidades maiores para sentir os mesmos efeitos.

Sendo assim, o uso se torna cada vez mais prejudicial e pode causar efeitos permanentes. Além disso, não podemos deixar de citar que a droga pode causar overdose, quando há o uso excessivo.

Como ajudar alguém que sofre por este problema?

Se você conhece alguém que é usuário de drogas, o mais importante é não julgar, repreender ou pressionar. Afinal, é preciso compreender que a dependência é uma doença.

Portanto, o mais recomendado é procurar ajuda de profissionais qualificados no assunto, pois eles podem ajudar (e muito) a resgatar esse indivíduo e promover o melhor tratamento.

A Clínica Huxley oferece um tratamento humano e incrível baseado no amor ao próximo. Ela é considerada um dos maiores e mais completos centros de diagnósticos, tornando-se referência em todo Brasil no tratamento da dependência e da depressão.

Atuamos com uma equipe completa de profissionais, como: médico psiquiatra, psicólogos, terapeutas, enfermeiros padrão e auxiliares de enfermagem, educador físico, coordenadores e monitores, assistente social e nutricionista.

Gostou de aprender mais sobre os principais sintomas de quem cheira pó? Se sim, aproveite e complemente o seu estudo lendo o nosso conteúdo sobre: o que fazer quando o dependente recusa o tratamento? Boa leitura!

5 3 votes
Article Rating