(19) 3877-2579 [email protected]
Escolha uma Página

CalmantesConheça as dúvidas frequentes e os mitos sobre este medicamento, com o Dr. Fábio Pinheiro, Médico Psiquiatra a 33 anos e Diretor da Clínica Huxley.

A introdução de medicações benzodiazepínicos (BZDs), conhecidos também como calmantes, nos tratamentos de transtornos mentais, são conhecidos desde os anos 50. Isso mudou e modernizou completamente a área de medicina, psiquiatria e outros campos relacionados à saúde mental.

Logo após seu surgimento, esse tipo de medicação passou a ser vendido no mundo todo sem qualquer controle, e chegou a ser os medicamentos mais vendidos do mundo. No ano de 1975, a venda passou a ser feita apenas para pacientes com a receita de controle especial azul, para evitar o uso abusivo dos calmantes e segue assim até os dias atuais.

Segundo levantamentos nacionais promovidos por seguradoras de saúde brasileiras realizados em 2019, o consumo de antidepressivos no Brasil cresceu 74% em seis anos. 

À primeira vista, há quem diga que calmantes tem efeitos drásticos que possam causar doenças como Alzheimer e até mesmo a morte. Esse é um medo comum, no meio de tantas notícias falsa enganosa, que circula descontroladamente em meios digitais.

Justamente por isso, preparamos este post, mostrando mais a fundo alguns detalhes sobre o assunto. Confira!



Quais as principais drogas consumidas no Brasil



Medicamentos como calmantes matam mais que drogas? 

Acredite se quiser, há quem afirme que remédios antidepressivos, ansiolíticos e benzodiazepínicos – como os calmantes- matam mais que drogas como heroína, cocaína e crack. Porém, essas afirmações não são verdadeiras e vamos te explicar porquê.

Os BZDs (benzodiazepínicos) têm as taxas de mortalidade muito baixa. Contudo, eles podem sim ser fatal, caso associado com substâncias como álcool e drogas, ou consumido em excesso em uma única dose e até com outras medicações controversas. Apesar disso, quando seu uso é feito dentro de um tratamento, com orientação de um médico psiquiatra, ele não apresenta sérios riscos à saúde e em alguns casos o uso desse tipo de medicação acaba sendo crucial no tratamento de transtornos ansiosos.



Para que são utilizados os calmantes? 

Essas medicações são usadas para tratar em casos de ansiedades, síndromes das pernas inquietas, neuralgia, depressão, transtorno de pânico, espasmos musculares, convulsões, sedação pré-operatória e outros transtornos mentais.

Existem uma série de calmantes vendidos no Brasil, alguns deles mais conhecidos, como os BZDs. Essas medicações, em alguns casos clínicos, devem ser obrigatoriamente utilizadas. Os calmantes, são receitados por médicos psiquiatria a paciente muito sintomáticos, como portadores de depressão, síndrome do pânico, ansiedade severa e demais diagnósticos. 

Mas atenção, os calmantes devem ser prescritos por médicos com conhecimento em problemas psiquiátricos.

É aconselhável não fazer o uso sem necessidade específica, e não solicitar a médicos não especializados em transtornos depressivos a prescrição para a compra sem necessidade. Isso, pode trazer inúmeros prejuízos à saúde.



Quando devo tomar calmantes?

Os antidepressivos devem ser usados, em menor tempo possível. O ideal é usar em até um mês apenas, para diminuir o risco de dependência nas medicações.

“É amplamente utilizada a conduta de associar os calmantes com antidepressivos no começo do tratamento, por exemplo nas primeiras semanas que o antidepressivo demora para começar a fazer o efeito, usar as duas medicações e aos poucos retirar o calmante, conforme a orientação médica”, explica o Dr. Fábio Pinheiro.

Os calmantes, também podem ser adequados em alguns usos eventuais como medos de avião, medo de falar em público e medo de ir ao dentista.

Os BZDs são indicados clinicamente quando o paciente não responde ao tratamento de ansiedade ou tem respostas parciais a ansiolíticos e efeitos colaterais.
Também são usados para sintomas muito severos, como síndromes do pânico (para alívio imediato).

Contudo, não existem apenas calmantes antidepressivos, existem também calmantes para diminuir a pressão (principalmente para quem tem fobia social). Algumas práticas como atividade física, higiene mental e a mindfulness (meditação), também são muito utilizados como forma de contribuir no tratamento de transtornos ansioso.



Os calmantes causam Alzheimer?

Mito! Inúmeros estudos recentes provam que antidepressivos não causam Alzheimer. 

As informações acima, foram estudadas e comprovadas pelo Médico Psiquiatra há 35 anos e Diretor da renomada Clínica Huxley, Dr. Fábio Pinheiro. Lembre-se sempre de nunca fazer o uso de medicações BZDs sem orientação de um médico psiquiatra.

Aproveite para entender mais sobre o tema deste post, no vídeo abaixo com o Dr. Fábio Pinheiro! Não deixe de conferir!


Precisa de ajuda para tratamento médico profissional?

0 0 vote
Article Rating