(19) 3877-2579 [email protected]
Escolha uma Página

Você sabia que o alcoolismo é considerado uma doença pela Organização Mundial da Saúde (OMS)? 

Essa doença crônica é caracterizada pelo uso abusivo do álcool e compromete seriamente o bom funcionamento do organismo.

Para você ter uma ideia, segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), cerca de 85 mil mortes a cada ano são 100% atribuídas ao consumo de álcool nas Américas.

Portanto, são dados que preocupam e não podem ser ignorados.

Vamos aprender mais sobre o assunto? Continue conosco!

O que é alcoolismo?

O alcoolismo é uma doença crônica que causa dependência e leva o paciente a uma série de consequências graves.

O álcool é uma droga lícita, ou seja, é aceito pela sociedade e por lei. Isso significa que ele é facilmente encontrado em bares, mercados, lojas e demais estabelecimentos.

No entanto, o que preocupa é o uso incontrolado e abusivo dessa substância. 

Dessa forma, uma pessoa alcoólatra consome diariamente altas dosagens dessa droga, fazendo o uso descontrolado da bebida.

>> Você também pode gostar de ler: 8 mitos e verdades sobre o alcoolismo

Como identificar o alcoólatra?

Identificar uma pessoa alcoólatra não é difícil. Afinal, o organismo apresenta sinais muito evidentes.

Quando a pessoa está sob o efeito do álcool, embriagada, costuma apresentar os seguintes sinais:

  • alterações de comportamento;
  • perda da timidez;
  • emotividade;
  • euforia;
  • tendência à agressividade.

Já nos estágios de abstinência, os sintomas são: depressão, fadiga, inquietação, dificuldade de concentração, tremedeira, dentre outros.

Além desses sinais, existem outros comportamentos que podem ser indícios de que há um dependente na família, como:

  • beber sozinho e fora de situações sociais;
  • tentar esconder as evidências do consumo de bebidas;
  • perda da memória, tremores e falta de apetite;
  • dentre outros.

Quais são os tipos de alcoólatras?

Conheça quais são os principais tipos de alcoólatras:

  • alcoólatra jovem adulto: costumam começar a beber no fim da adolescência (por volta dos 19 anos) e se tornam dependentes alguns anos depois (em torno dos 24 anos);
  • alcoólatra jovem antissocial: começam a beber na adolescência (cerca de 15 anos) e se tornam dependentes por volta dos 20; normalmente, têm transtorno de personalidade antissocial;
  • alcoólatra funcional: começam a beber por volta dos 30 anos e se tornam dependentes aos 40; costumam apresentar depressão e outros problemas mentais;
  • alcoólatra crônico: começam a beber na adolescência e desenvolvem a dependência aos 30 anos; normalmente, têm transtorno de personalidade, depressão, síndrome do pânico e fobias; costumam consumir outras drogas, como cigarro, maconha, opioides e outros;
  • alcoólatra familiar intermediário: começam a beber no fim da adolescência e desenvolvem a dependência aos 30; eles têm parentes próximos que sofrem de alcoolismo, têm transtorno de personalidade, ansiedade e depressão; também fazem o uso de outras substâncias.

Quais são os danos que álcool causa? 

O álcool causa diversos danos tanto a curto quanto a longo prazo. Em curto prazo podemos citar: má aparência, ressaca, cansaço, dentre outros.

Porém, o grande problema está no consumo do álcool a longo prazo. Afinal, ele pode causar mais de 200 doenças e lesões.

Conheça os principais malefícios do alcoolismo:

  • gastrite, hepatite, pancreatite e neurite;
  • distúrbios mentais e comportamentais;
  • cirrose;
  • doenças cardiovasculares;
  • lesões resultantes de violência e acidentes de trânsito;
  • dentre outros.

Quando é necessária a intervenção médica para combater o álcool?

Devido ao álcool ser uma bebida “liberada”, muitas pessoas ficam em dúvida: é mesmo necessária a intervenção médica?

A resposta é: sim. A intervenção médica é sempre importante, pois há o acompanhamento direto de profissionais altamente qualificados na saúde.

Além disso, é necessário realizar uma série de exames antes de propor o melhor tratamento. Afinal, antes de tudo, precisamos analisar o real quadro de saúde do paciente.

Somente depois disso, indica-se o melhor tratamento. Por isso, a melhor maneira para ajudar no tratamento do alcoolismo é contar com o apoio de uma clínica especializada no assunto.

Afinal, a clínica conta com o suporte adequado de profissionais que podem contribuir com uma boa recuperação.

Claro que é essencial que o próprio paciente entenda que essa é a melhor alternativa. Afinal, a internação involuntária é considerada o último recurso das famílias, quando, na verdade, não precisa (e não deveria) ser assim.

Porém, é muito importante conversar com a pessoa que precisa de internação e encontrar maneiras para convencê-la de que essa é a melhor opção.

>> Você também pode gostar de  baixar o nosso e-book: “Vencendo o vício do alcoolismo”.

Bônus: conheça a Clínica Huxley

Se você está procurando um ambiente de muito amor e acolhimento para cuidar bem de uma pessoa querida que está querendo uma nova vida longe das drogas, precisa conhecer a Clínica Huxley.

A Clínica de Recuperação Huxley oferece um tratamento de excelência sempre baseado no amor ao próximo, considerado um dos maiores e mais completos centros de diagnósticos.

Além disso, ela é referência em todo Brasil no tratamento dependência e depressão. Portanto, ela pode ajudar você (ou quem você ama) no tratamento do alcoolismo.

A Huxley conta com uma equipe altamente especializada que pode ajudar a tornar o tratamento muito mais personalizado e próximo — como médico psiquiatra, psicólogos, terapeutas, enfermeiros, educadores físicos, nutricionistas e muito mais.

Existem dois tipos de tratamento para o alcoolismo na Huxley. São eles.

Tratamento na clínica

A internação pode parecer rigorosa e complicada para o paciente, porém, garantimos que se trata de um tratamento seguro e eficaz. 

A internação pode ser voluntária (quando o próprio paciente decide que precisa e quer ajuda) ou involuntária (quando a família decide internar o paciente sem a sua aprovação).

Este método habitual é direcionado para dependentes que não conseguem voltar à rotina e sofrem muitas dificuldades na sua recuperação. Além disso, eles  já desenvolveram problemas de saúde em decorrência do uso abusivo de álcool.

Tratamento em casa

Além do tratamento do alcoolismo na clínica, a Huxley conta com um tratamento inovador e único, realizado na casa do paciente.

O tratamento residencial para alcoolismo é direcionado àqueles que não podem parar a sua vida totalmente, pois têm uma rotina de trabalho ou outro compromisso que não podem desvincular.

Gostou de aprender mais sobre o alcoolismo? Se sim, que tal entrar em contato conosco para trocarmos uma ideia sobre o melhor tipo de internação para o seu caso?

Entre agora mesmo em contato e peça ajuda profissional!

0 0 votes
Article Rating