(19) 3877-2579 [email protected]

Estresse é uma resposta física do nosso organismo a um estímulo. Quando estressado, o corpo pensa que está sob ataque e muda para o modo “lutar ou fugir”, liberando uma mistura complexa de hormônios e substâncias químicas como adrenalina, cortisol e norepinefrina para preparar o corpo para a ação física.

A manutenção de um estado de estresse por longos períodos pode ser prejudicial à saúde. Os resultados de níveis elevados de cortisol podem ser um aumento nos níveis de açúcar e pressão arterial e uma diminuição da libido.

Às vezes, o estresse pode ser uma força positiva, motivando o indivíduo a performar melhor em seu recital de piano ou em uma entrevista de emprego. Outras vezes, porém, como quando você está preso no trânsito das grandes cidades, o estresse pode ser uma força negativa. Se você está exposto ao estresse por períodos prolongados, ele provavelmente se tornará crônico, a menos que você tome alguma ação.

Nós separamos esse teste para você medir o nível de seu estresse.

Esse teste foi elaborado pela psicóloga Sandra Calais. Em hipótese nenhuma pode ser substituído por uma consulta médica.

Você pratica exercícios físicos?

Antes de um compromisso importante, você...

Em geral, como você lida com as situações que o aborrecem?

Quando alguém o chama para fazer algo que você não tem vontade, como você age?

Você se considera uma pessoa sociável?

Com que frequência você fica doente?

Você não se dá bem com seu chefe. O quanto isso influência no seu trabalho?

Quando algum conhecido passa por você e não cumprimenta, você...

Você chora com frequência?

Em geral, você é uma pessoa comprometida com o que faz?

Teste de Estresse
Nível 1 - Alerta
Ao contrário do que geralmente imaginamos, nem todo estresse é ruim. Esse nível apresenta aspectos construtivos, conforme explica a psicóloga Sandra Calais. "O primeiro nível de estresse é aquele que você consegue identificar o estressor e, assim, busca sair da situação. É benéfico porque funciona como estímulo, potencializando suas possibilidades de ações". Esse tipo de estresse surge em situações motivadoras ou animadora, por exemplo, quando a pessoa está apaixonada por alguém.
Nível 2- Resistência
Esse nível se caracteriza pela identificação do elemento causador de estresse e impossibilidade de ação. "Você identifica o estressor, mas não consegue, por limitações internas ou externas, restabelecer um equilíbrio interno. É um indício de que você está começando a perder o controle da situação", explica a psicóloga Sandra Calais. Nesta fase, começam a aparecer alguns sintomas como desgaste físico e emocional, baixa resistência imunológica e lapsos de memória.
Nível 3 - Quase-exaustão
"Nessa fase, a qualidade de vida da pessoa cai e ocorre agravamento dos sintomas psicológicos, como emotividade aumentada, irritabilidade, isolamento, maior consumo de álcool e/ou drogas. No entanto, o rendimento no trabalho continua bom e a funcionalidade da pessoa é garantida", explica a psicóloga Sandra Calais. Mas não se engane com a qualidade no trabalho, essa fase já é de alerta e vale procurar ajuda psicológica para tentar reverter o que está causando seu estresse.
Nível 4 - Exaustão
"É a fase do colapso. Há, além dos sintomas psicológicos, desenvolvimento ou agravamento de doenças físicas, como alergias acentuadas, alterações no sono e na alimentação, queda do cabelo, vitiligo, enxaquecas, entre outros sintomas. As pessoas que chegam a esse nível precisam de ajuda profissional urgente, para que se evitem problemas sérios como infarto ou doenças crônicas", diz a psicóloga Sandra Calais. No entanto, é preciso ficar atento, pois o estresse não é a explicação para tudo. "Todos esses sintomas podem ser indicativos de outras doenças", alerta a especialista. Por isso a busca por uma avaliação médica profissional é importante.
Nós ligamos pra você!